Eu ainda guardo em minha mente uma lembrança da antiga casa de meus pais e de como eram vestidas as paredes da nossa infância. Depois décadas no esquecimento, os papéis de parede de estilo retrô estão de volta para ficar. A dica para usá-los na sua casa, como em quase todas as coisas, é a moderação.

Flores, motivos geométricos, figuras irregulares e desenhos japoneses. Qualquer coisa, mas que seja grande uma das características do papel de parede retrô que, apesar de parecer muito intensos, o certo é que tem uma capacidade decorativa difícil de igualar. É possível encontrar papéis originais, em lojas vintage, mas não é necessário, porque graças ao seu sucesso, os fabricantes de papel de parede completaram a sua coleção com numerosos modelos do passado a um bom preço.

Imitações e reedições de antigos desenhos preenchem as páginas de seus catálogos, então não vai ser difícil encontrar algum de seu agrado. Além da estética dos anos 70, com motivos grandes e cores vivas foram capturados sobre o papel de parede estilos ainda mais antigos, texturas como o damasco, os brocados, motivos com pequenas flores, etc. Isto nos leva a pensar que quando falávamos de papel de parede retrô ou vintage, não estávamos nos referindo somente a um estilo ou a uma época.

As tendências atuais na hora de usar o papel de parede retrô são baseadas em uma premissa fundamental, controlar o excesso. E para isso, nada melhor que combinar. Aí que está a chave: combinar uma parede empapelada com grandes desenhos e cores chamativas, com outras lisas e mais suaves. Ou combinar alegres flores com listras sóbrias. Um conselho use o retrô para realçar um elemento decorativo ou arquitetônico da casa. Ao escolher um desenho de formato grande, procure não sobrecarregar o ambiente.

Melhor, suavizá-lo deixando poucos móveis e terá êxito. Na imagem eu mostro um original papel de parede que reveste a parede da sala de estar com um divertido e criativo arranjo de molduras e quadros vintage. Confira as fotos:

04

01

02

03

07

05

06